Atividades do Paisagista passo-a-passo

Repensar o ambiente, aproveitar todos os espaços tornando-os mais convidativos às pessoas e às suas necessidades, desenvolvendo jardins atraentes que trazem o cenário para a convivência em casas ou espaços de trabalho é uma das atividades do paisagista. Mas não é só isso.

Antes de tudo,

Antes de tudo, o paisagista tira partido da incidência do sol no terreno, cria barreiras quando o vento se mostra violento, avalia eventuais elementos arquitetônicos que precisam ser alterados, sabe como corrigir solos, verifica drenagem e irrigação e, evidentemente, conhece plantas como ninguém.

Todo o trabalho é realizado com critérios e objetivos bem definidos, por isso resulta numa composição harmoniosa e equilibrada, em que a arquitetura da casa acaba sendo valorizada, e as plantas destacadas, através da distribuição adequada e da iluminação, só para citar dois exemplos.

Também há a necessidade de trabalhar os volumes e a topografia do terreno, observando a área construída e o espaço necessário para salientar determinadas espécies, segmentos do jardim ou ainda disfarçar desníveis muito acentuados. O projeto de um jardim pode ser entendido como uma arquitetura de exterior, que deve estar em sintonia com a arquitetura da casa.

Mas a forma de um jardim não é definida apenas pelas plantas. Caminhos, taludes, bancos, pisos, quiosques, pergolados, piscinas, muros, churrasqueiras e piso. Todos estes elementos construtivos têm grande importância. São recursos que quebram a monotonia e podem ser usados com muita criatividade, disfarçando possíveis defeitos e salientando as soluções paisagísticas.

O ideal é que o paisagista trabalhe paralelamente com o arquiteto, se possível na hora do projeto da casa”, o resultado será, sem dúvida, muito mais harmonioso.

Veja mais: Os 10 erros mais cometidos em jardinagem

Análise

Após o primeiro contato, o paisagista vai fazer uma análise do terreno. Estuda a topografia, orientação solar, tipo de solo, vegetação existente, observação de ruídos, ventos e análise das construções existentes no terreno. Entende também quais as necessidades que o cliente busca.

Proposta de Trabalho

Com os estes elementos em mãos, o paisagista apresenta uma proposta de trabalho com o custo do projeto e da execução, que pode ou não ser feita pelo profissional.

Vale lembrar: “Um jardim mais econômico pode ser obtido com a utilização de espécies jovens. Se a escolha recair sobre espécies já formadas ou raras, o custo será muito maior.

Em geral, os paisagistas cobram por metro quadrado, sendo que a execução é à parte e cobra-se por dia. Entretanto, isso varia muito, uma vez que grandes áreas podem representar um extenso gramado, que não exige o mesmo trabalho que um recanto com grande composição de espécies. Nesse contexto, a melhor forma de cobrança é por horas trabalhadas.

Estudos detalhados

Depois de firmar o contrato e estabelecer a forma de pagamento, o paisagista parte para a definição de um estudo mais minucioso, estabelecendo plano de massas de vegetação (arbustos, árvores de grande porte, fonações, etc.), pontos de água para irrigação, jardineiras e respectivos pontos de luz, ralos e grelhas para o escoamento da água, e outros detalhes.

Todos estes elementos têm muita importância e diferenciam um jardim bem planejado de outro feito de forma improvisada. 

Com todos estes elementos, o paisagista apresenta desenhos ao cliente para que ele visualize melhor a proposta do projeto. É nessa hora que você esclarece todas as suas dúvidas e solicita alterações, se for o caso.

Execução do projeto

Está na hora de entrar na fase de execução propriamente dita, quando o paisagista orienta e faz a marcação dos elementos construtivos, como caminhos, pisos, pergolados, que em geral o cliente executa. Após o término dessa fase vem o plantio.

Para se ter ideia do tempo necessário de planejamento e execução de um jardim, reserve um mês para o projeto e de um a dois meses para a execução, prazo que varia em função da quantidade de elementos construtivos e das condições climáticas.

Manutenção

Terminado o plantio, o paisagista entrega o memorial com os nomes de todas as espécies que compõem o jardim e respectivas observações, orientando o cliente e, se for o caso, o jardineiro, quanto à irrigação, tratamento, adubação, poda, etc. De forma geral, os paisagistas dão manutenção nos primeiros 30 e 60 dias, momento de verificar se as espécies estão se adaptando ao novo ambiente. É um tipo de garantia, pois o profissional pode ainda fazer o replantio de algumas mudas.

Agora, é só esperar e acompanhar a fase de crescimento das plantas. Um jardim demora, em média, de três a quatro anos para ser totalmente formado. Dentro de um ano, os arbustos e forrações já estarão bem crescidos; as árvores demoram cerca de três a quatro anos para atingir uma altura média.

Você quer dominar as técnicas de paisagismo e tornar o seu espaço- ou de seus cliente- mais bonitos com ajuda das plantas e elementos auxiliares? Então olha isso:

curso de paisagismo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

3 × um =