Os 7 princípios básicos da Decoração de Interiores- Tutorial

7 princípios básicos da decoração

Talves você não saiba, mas existem 7 princípios básicos da decoração que são a base e o alicerce quando o assunto é decorar espaços. Cada princípio que descrevo aqui, é uma etapa realmente importante, por isso você deve estar ciente e pensar sobre eles durante o processo de decorar. Quando você aplica estes princípios, você cria uma aparência geral que reflete harmonia.  Aqui neste post, vou descrevê-los em detalhes:

EQUILÍBRIO

O primeiro dos 7 princípios básicos da decoração é o equilíbrio. Em outras palavras, é tudo uma questão de peso visual.

Quando você olha para seu reflexo no espelho por exemplo, e divide seu corpo ao meio ao longo de uma linha vertical, você verá como suas metades esquerda e direita são simétricas.

Então. Nosso corpo é um exemplo perfeito de equilíbrio. Como costumamos encontrar esse equilíbrio na vida, nosso cérebro percebe também ambientes simétricos e equilibrados. Em outras palavras, o equilíbrio é o princípio-chave do design de interiores.

Ou seja, se você deseja que sua casa seja uma espécie de “oásis aconchegante”, onde possa relaxar do mundo exterior, a simetria e o equilíbrio devem ser a base de seu próximo projeto de decoração.

Como se consegue ter um ambiente equilibrado?

Olhe para um ambiente e ao observar as texturas e a decoração em geral, veja se os lados direito e esquerdo parecem similares. Se sua resposta for Sim, então este ambiente está equilibrado!

Encontrar o equilíbrio certo no design de interiores é a chave do sucesso. Sem ele, tudo desaba.

Mas se você achar que o ambiente parece um pouco estranho, mesmo se todos os elementos parecem estar ok, seu equilíbrio pode estar comprometido. Mas, existem algumas maneiras realmente fáceis de consertar isso.

Quando falamos sobre equilíbrio e olhamos para o espaço que queremos decorar, precisamos ter em mente três tipos principais:

  1. Equilíbrio simétrico – este é o mais popular e mais fácil de alcançar. Por exemplo, dois sofás separados por uma mesa de centro. Ou então, um sofá e duas mesinhas laterais iguais de cada lado.
  2. Equilíbrio assimétrico – este equilíbrio é mais difícil de alcançar. É mais informal e dinâmico quando bem feito. Normalmente temos móveis pesados de um lado e móveis mais leves do outro. Adicionando cores ou padrões mais fortes ao lado mais claro, criamos o chamado equilíbrio assimétrico.
  3. Equilíbrio ótico – é uma variante do equilíbrio assimétrico, que de fato é uma ilusão ótica que resulta em dispor objetos que não são idênticos, porém a uma mesma distância do eixo central imaginário, criando uma impressão de simetria.

Peso Visual

Nosso foco geralmente está nos móveis, onde fazemos os ajustes mais rapidamente. Mas, ao mesmo tempo, muito importante é prestar atenção também nos elementos altos presentes no ambiente – quadros, luminárias de pé. Porque estes podem desequilibrar a decoração muito rápido, se não for levado em consideração.

Portanto, se tivermos alguns itens altos de um lado, precisamos encontrar “algum peso” também do outro lado da sala. Pode ser um elemento alto também ou talvez usar uma tinta de cor diferente para elevar os olhos e criar o equilíbrio geral.

PONTO FOCAL

O ponto focal junto com o equilíbrio formam os dois princípios mais importantes que precisamos aprender. O conceito de ponto focal como um dos 7 princípios básicos da decoração afirma que uma peça, um mobília ou uma arte, precisa desempenhar o papel de chamar a atenção. Então, uma das nossas primeiras tarefas é definir o ponto focal do espaço e depois começar a equilibrar e aplicar todos os outros princípios.

Quando estamos dispondo os móveis no espaço, precisamos definir qual será o ponto focal. Trata-se de algum elemento-chave, para o qual seus olhos são atraídos, quando você entra em um ambiente. Por exemplo, no quarto o ponto focal pode ser a cabeceira da cama. Já na sala de jantar o ponto focal pode ser uma impactante luminária que foca para a mesa de jantar.

Ponto focal por meio de elementos decorativos

Cada elemento decorativo incluindo textura, forma, padronagem e cor deve ajudar a enfatizar o espaço gerando interesse e impacto. 

como criar ponto focal um no ambiente

Você pode usar dois elementos decorativos para criar pontos focais. Luz e cor são dois exemplos rápidos e fáceis de fazer isso. Por exemplo: Use uma cor brilhante ou contrastante com mais alguma iluminação focada para destacar seu item importante (centro de interesse) e assim, obter a atenção merecida.

como criar um ponto focal no ambiente

Você também pode direcionar usando alinhamentos, introduzir novas texturas em torno do seu centro de interesse para destacá-lo. O importante é você criar um impacto visual contrastando itens em torno de seu centro de interesse. Assim, ele brilhará. Veja como a escrivaninha branca realçou, tendo como ponto focal o papel de parede verde (folhagem).

Ponto focal por meio do posicionamento

7 princípios básicos da decoração

A maneira como você posiciona os elementos decorativos dentro de um ambiente é uma consideração muito importante. Veja este exemplo acima, em ambiente linear, com a paisagem no final do corredor. Se você criar ritmo repetindo elementos decorativos, você cria ênfase até o centro de interesse. Isso é ênfase via posicionamento.

Veja Mais: Como dispor os móveis em sua casa

7 princípios básicos da decoração

Decorar um ambiente completamente do zero é intimidante para você? Se você não sabe por onde começar, o @ibdioficial criou o Guia de Decoração prática para você começar a decorar do zero. Dá uma olhada:

curso decoração

CONTRASTE

Depois de decidirmos sobre o tipo de Equilíbrios e o nosso ponto focal do ambiente, devemos pensar no Contraste e em como tornar o seu espaço interessante.

O contraste no design de interiores tem a ver com a diferença de cor ou luminosidade dos objetos que os diferenciam uns dos outros.

É alcançável usando três elementos. Espaço, forma e cor. Pode-se usar estampas ou almofadas de duas cores opostas, como branco ou preto por exemplo, para obter contraste e criar pontos que enalteçam o espaço.

Você também pode alcançá-lo através da combinação de mais de um forma. Por exemplo, combine um sofá retangular com um espelho circular para distribuir e equilibrar a atenção entre os dois itens.

7 princípios básicos da decoração

Não há nada tão importante quanto a primeira impressão causada por um ambiente. Existem espaços que, quando você olha pela primeira vez, te deixam fascinado devido ao seu impacto visual impressionante. Ao mesmo tempo, cada elemento se encaixa. Outros espaços, por outro lado, não tão bem projetados, tendem a cair na monotonia e não causar impacto.

O ingrediente secreto que cria uma ótima primeira impressão é, na maioria dos casos, o contraste. Quando você o usa corretamente, este princípio básico da decoração pode adicionar grandes doses de interesse visual no espaço, ao mesmo tempo em que une todos os elementos simultaneamente.

Existem algumas maneiras diferentes de criar contraste. Vamos aprendê-los.

Criação de contraste usando formas e padronagens

As formas e padronagens são ótimos métodos de adicionar contraste aos espaços. Não é tão difícil ver a diferença entre bordas arredondadas e suaves e cantos agudos em ângulo. Esses tipos de contraste são vistos com mais frequência em mobiliários. No entanto, também pode ser utilizado com vários tipos de arte ou até mesmo acessórios como espelhos.

Alguns estilos de design funcionam bem juntos quando comparados a outros. Você pode experimentar várias estilos e brincar com as formas do estilo escandinavo, formas modernas de meados do século ou então formas geométricas. 

7 princípios básicos da decoração

Criação de contraste por meio de mistura e correspondência

Para criar contraste, propositadamente misture e combine itens que parecem opostos uns aos outros. Isso se refere ao produto ou material de que os objetos são feitos e à aparência dos produtos. Pense em misturar pedra natural e madeira com aço por exemplo. Você também pode usar tecidos, como usar uma cor lisa simples e, em seguida, misturá-la e combiná-la com itens estampados.

Criando contraste com textura

Em design de interiores, o conceito de textura refere-se à percepção da forma como sentimos os elementos. Por exemplo, comece a imaginar como é passar a mão em uma bancada fria e acidentada ao invés de um tampo de madeira. É a percepção da textura que importa.

Quando você coloca duas texturas que contrastam juntas, isso adiciona peso visual ao espaço. Isso significa que os elementos decorativos serão capazes de atrair os olhos mais rapidamente. Duas texturas que contrastam, como áspero e suave, fosco e brilhante, etc.

Criando contraste com a cor

Usar cores para criar contraste é provavelmente o método mais fácil e óbvio de criação. Um esquema de cores complementares, usando dois tons opostos em cada extremidade da roda de cores cria um grande impacto. Por exemplo, vermelho e verde, violeta e laranja e semelhantes.

Veja mais: >Teoria da Cor voltado a decoração de espaço < e   >Tendências de cores na decoração<

Se o estilo que você deseja alcançar é mais colorido, você também pode usar combinações de cores como amarelo e roxo ou laranja e azul. Lembre-se de que nos princípios do design de interiores, dentro do próprio espaço, uma cor deve dominar enquanto a outra o acentua. Prefira usar uma única tonalidade para as paredes e a outra (mais acetuada) para acessórios, móveis e tecidos.

Para suavizar, tudo que você precisa fazer é adicionar cores neutras. Uma cor neutra dará aos seus olhos um ponto visual para descansar, enquanto fornece um pano de fundo relaxante para que os contrastes de cores comecem a aparecer.

Você pode ler mais sobre cores em meu post onde explico como escolher a paleta de cores para a casa toda.

RITMO

Chegamos ao quarto princípio de design de interiores que chamamos de Ritmo. Provavelmente, você está acostumado a ouvir a palavra ritmo quando o assunto música surge. Na música, o ritmo é o fio que une todos os refrões, pontes e estrofes em uma canção. Em design de interiores, no entanto, o ritmo funciona de maneira semelhante.

Você pode não ter notado isso no passado, mas é um padrão sutil e une todos os seus princípios de design de interiores. A maioria das pessoas acredita que o segredo do “molho do design” é o ritmo. Este é o princípio que dá um toque extra de polimento a interiores de alta qualidade.

É utilizado para ajudar o olho a se mover dentro de um espaço de maneira e pensamento organizados. O ritmo também desempenha um papel importante na forma como as pessoas percebem o seu interior, tanto em termos de ser ou não agradável esteticamente como em termos de funcionalidade.

Pensamos em Contraste, Ritmo e Escala mais ou menos ao mesmo tempo quando buscamos a combinação perfeita para alcançar o Equilíbrio e a Harmonia geral que todos buscamos. Você nota como os princípios estão intimamente conectados?

COMO USAR o ritmo NA decoração

Você pode usar cinco técnicas principais para estimular o ritmo e o fluxo dos movimentos dentro de seus ambientes.

Contraste

Colocar elementos decorativos diretamente opostos criará contraste. Isso faz com que os olhos se movam para frente e para trás entre os dois elementos. Crie-o com lados opostos da roda de cores ou você também pode misturar e combinar materiais. Metal e madeira seriam um ótimo exemplo.

Veja Mais: como usar cores contrastantes na decoração

Transição

A transição entre os ambientes e principalmente entres os ambientes integrados, devem acontecer de forma que a mudança de uma área para outra aconteça de forma sutil. Dessa maneira o observador consigue enxergar uma continuidade nos ambientes, entendendo que um faz parte do outro e juntos fazem parte de um todo formando uma unidade.

como fazer o ambiente fluir

Gradação

Esta é uma progressão passo a passo para mover o olho de uma extremidade do ambiente para a outro. Um exemplo de gradação são estrelas (maiores e menores). Suas formas permitem que seus olhos se movam perfeitamente de uma extremidade do céu para a outra. A progressão de cores claras para escuras é outra forma de obter gradação.

Radiação

Ocorre quando muitos elementos decorativos diferentes se juntam para formar um equilíbrio de rotação em torno de um objeto no centro. Por exemplo, você pode ver a radiação em mesas de jantar redondas. A radiação é encontrada em áreas de estar onde há peças de mobília dispostas em torno de um ponto focal central.

Repetição

A minha forma favorita de aplicar o ritmo é através da repetição de um padrão continuamente para criar uma sensação de estabilidade. Você pode criá-lo por exemplo, usando os mesmos padrões têxteis, características arquitetônicas ou então objetos, luzes ou outras formas repetidas no ambiente.

Uma coisa é entender o que cada técnica significa, outra é compreender como usá-las apropriadamente.

Você não precisa ou até nem deve usar todas estas técnicas em um projeto ao mesmo tempo. Simplesmente incorpore uma ou duas delas que podem ajudar a unificar visualmente o espaço.

ESCALA E PROPORÇÃO

A maioria dos designers de interiores entende que a escala e a proporção são, de fato, importantes. Trata-se de uma parte muito relevante dos princípios básicos. Vamos ver qual é a diferença entre eles:

O que é escala

A escala se refere ao tamanho de um objeto em relação a outro. Especificamente, o conceito de escala é usado quando o tamanho de um objeto é conhecido de fato.

Alguns exemplos são:
1.as alturas de parede padrão
2.altura de uma mesa e cadeira
3.quantos metros um banheiro ou chuveiro deve ter para não se sentir muito apertado.

Qual é a proporção

A proporção refere-se à relação geral de tamanho entre dois objetos diferentes. Quando os designers se referem à proporção, eles estão tentando descrever a maneira como os objetos se relacionam entre si em uma sala.

Exemplo: a mesa de centro deve ter dois terços do comprimento do sofá com o qual é usada.

DETALHES

O design de interiores tem a ver com a seleção cuidadosa das cores, tecidos, materiais, estilos e também dos produtos usados para a decorar um espaço. Por isso, preste atenção aos detalhes, porque eles são realmente importantes. Naturalmente, os móveis e as cores desempenham o papel principal, mas são os pequenos detalhes que fazem a diferença entre uma casa convidativa e iluminada e uma casa enfadonha.

Pequenos detalhes importam

Pequenos detalhes completam o ambiente. Por exemplo, a cor ou textura do piso ou a forma como o padrão do papel de parede combina com os móveis. Quando você está redecorando e mobiliando uma casa, mas sente que algo está faltando, então, pode ser a hora de adicionar pequenos detalhes.

O design de interiores tem a ver com a ciência e a arte de valorizar um espaço usando todos os elementos decorativos, incluindo os detalhes. Pois, criar um ambiente agradável para as pessoas é o objetivo, e os detalhes definitivamente ajudam muito nesse sentido.

Alguns exemplos: a estampa no tapete combinando de alguma forma com as almofadas, mesinhas de cabeceira que, mesmo sendo diferentes, criam combinações com a cabeceira da cama. Ou então um lustre de cristal de grandes dimensões na entrada de sua casa ou quem sabe um tapete de pele sintética sobreposto a um tapete acinzentado.

Estes são apenas alguns exemplos. Em suma, com eles seu espaço parecerá acabado, completo e funcional ao mesmo tempo.

UNIDADE

Podemos dizer que depois de completar os 6 princípios básicos da decoração, estamos próximos da linha de chegada! 🙂 Pois bem, já entendemos que existe uma quantidade certa de equilíbrio, contraste, ritmo, escala e detalhes presentes em torno do nosso ponto focal. Nosso espaço então está quase perfeito e só precisamos incorporar mais um princípio muito importante afim de chegarmos no resultado final que é um ambiente harmonioso. Este princípio é o da unidade.

Unidade é quando elementos semelhantes são combinados de forma que você sente que eles simplesmente se encaixam entre si. A repetição dos elementos decorativos, como padronagem textura e cor é o melhor método de alcançar harmonia nas composições.  O resultado final é agradável com tudo parecendo exatamente onde deveria estar.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Alcançar todos os 7 princípios básicos da decoração pode ser difícil. Por isso, precisamos ter grande senso e olho para alcançar a harmonia e dominar a decoraçao. Quer aprofundar no assunto? O @ibdioficial desenvolveu um tutorial prático de 40 páginas ricamente ilustrado explicando tudo em detalhes, veja: 

Cada princípio é uma etapa realmente importante, por isso você deve estar ciente e saber aplicá-los durante todo o processo de decorar.

Quer transformar sua paixão por decoração em uma profissão? Eu tenho um curso TOP para te mostrar. Aliás, esse material você verá já no primeiro mês de aula. Clique no botão abaixo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze + 11 =