O que é uma Planta Baixa e uma Vista?

Se você é um amante do design de interiores, ou está buscando entender do assunto antes de realizar a decoração da sua casa, já deve ter ouvido falar em planta baixa e vistas. O termo é, de fato, bem comum e faz parte de qualquer projeto de design de interiores. Mas, afinal, o que é planta baixa e uma vista? Espera, vou explicar!

Planta Baixa

o que é planta baixa

Bom, a planta Baixa é um corte feito  através de um plano horizontal imaginário situado em uma altura aproximada a 1,50 m. Dessa maneira, a porção da edificação acima do plano de corte é eliminada e representa-se o que um observador veria ao olhar do alto a edificação cortada. 

Graficação

O desenho da planta deve conter traços fortes e médios bem caracterizados e deve conter também os equipamentos. Porque, ao olharmos para um quarto por exemplo, devemos ter essa leitura perfeita com os equipamentos e mobiliários nele desenhado. Assim é também para os demais ambientes, podendo até desenharmos alguns detalhes como pisos, tapetes e elementos de decoração.

Escala

As paredes, portas e janelas seguem uma proporção em relação ao tamanho real. Hoje em dia, as escalas mais comuns para projetos de decoração são de 1:50 e 1:25. Na escala de 1:50, por exemplo, cada centímetro da planta baixa será 50 vezes menor do que a realidade.

Plantas humanizadas

A planta humanizada serve para visualizarmos as propostas de arranjos, (lay-out) para os ambientes, e também suas proporções e circulação. Portanto, permite experimentar diferentes alternativas de disposição dos móveis e também do fluxo de pessoas pelo local. Para isso, os espaços devem estar equipados com o máximo de elementos possíveis como camas, cadeiras, mesas, objetos, cortinas, etc., de forma a facilitar, de fato, a compreensão.

Como montar uma planta baixa

Como fazer uma planta baixa:

  • Tire as medidas pelo pé do roda-pé, o comprimento e a largura da peça. As alturas são necessárias mais adiante, quando fizer as elevações.
  • Tire as medidas de portas e janelas pois precisam aparecer na planta. Geralmente, usa-se 0,15m para o desenho de paredes internas e 0,25m para o desenho de paredes externas.
  • Represente as portas abertas, para mostrar o espaço que ocupam quando abrem e fecham.

Veja Mais: Como medir ambientes

  • Represente as janelas na parede com traço mais fino. Entre os dois traços das extremidades, mais traços são feitos, e representam a espessura dos vidros.
  • Represente também o mobiliário com traço fino, devendo mostrar as projeções e demais itens constantes no projeto.
  • Os armários que vão até o teto, devem ter uma representação distinta dos demais (tracejado), pois não são vistos de cima, e sim em corte.
  • Armários e acessórios embutidos, que não são vistos, devem ter uma representação de tracejado- ponto- tracejado.
  • Quadros, espelhos, painéis em paredes aparecem só com a espessura e a largura do objeto.
  • As cortinas aparecem como se fossem um trancelim. Se for de painel ou rolo, então é um traço apenas.
  • Objetos muito pequenos (livros, enfeites, etc…) só serão representados em escala maior ou igual a 1 :25.
  • A iluminação de teto está fora do alcance do corte, portanto, aparecerá pontilhada e é feita em plantas específicas de iluminação.

Vistas

As vistas são desenhos muito importantes, complementares à planta baixa, com informações relativas às alturas dos elementos construtivos. São obtidos de forma semelhante à da planta baixa, porém com o plano de corte vertical. É construída a partir da planta baixa, de onde são transferidas as medidas da largura ou profundidade para o plano vertical.

No design de interiores, as vistas servem para visualizar detalhes de armários, detalhes em paredes e tetos. Porém nem sempre elas são necessárias. Isso vai depender do que tem à mostrar. As vezes, a vista de um único móvel é mais importante do que todo o conjunto de uma parede.

Graficação

No que diz respeito à graficação, use o jogo de linhas, com suas diversas espessuras, demonstre as distâncias maior ou menor do fundo, bem como nossa posição em relação aos objetos.

Na elevação indique através de texturas, os tipos de materiais que serão aplicados, arranjos de parede, cores, revestimentos, etc. Também pode-se inserir o memorial descritivo.

Para se fazer uma vista deve-se:

  • determinar qual dos planos se deseja mostrar.
  • desenhar a parede do fundo, sendo que a altura (pé-direito) deve conter, no mínimo, 2,50 metros.
  • desenhar a largura e a altura dos objetos, janelas e mobiliário em geral, além de quadros e adornos de parede que, eventualmente, poderão aparecer, bem como a distância entre si sendo determinadas conforme a planta baixa.
  • não esquecer também de indicar na planta baixa, o ponto em que será vista a elevação. Esta marcação pode ser por setas identificadas ou ainda, por uma linha que indique o sentido da elevação, este tipo de linha é dado pelo tipo linha – ponto-linha.

Circulação

Atende as necessidades de espaço para movimentação. Estude todas as atividades que normalmente se desenvolve no ambiente para ter certeza de que as condições de circulação e os espaços necessários são satisfatórios.

Boa parte da circulação o arquiteto/ engenheiro já resolveu durante a elaboração da planta arquitetônica, com a divisão das áreas em três partes distintas:

  1. Área Íntima
  2. Área Social
  3. Áres de Serviços

Inicialmente é necessário estudar as circulações. Um método fácil é colocar flechas, assim fica claro onde as pessoas irão transitar. O ideal é não quebrar as circulações com mobiliário. Após este estudo é possível que a mudança de alguma parede seja necessária.

Os designers de interiores podem intervir na planta original, como abrir uma parede, mudar uma porta ou mesmo trocá-Ia de lugar, desde que o arquiteto e/ou o engenheiro responsável sejam devidamente consultados.

Disposição do mobiliário na planta baixa

Uma distribuição eficaz do mobiliário significa além de poder circular livremente e confortavelmente entre o mobiliário, também ter conforto para o uso do mobiliário. Por exemplo, abrir portas e gavetas dos armários, afastar cadeiras em volta da mesa de refeições. São atividades que você deve considerar ao planejar a planta de layout.

  • Deve-se relacionar todos os itens a ser colocado no espaço. Tire as medidas do que já tem ou do que se pretende comprar.
  • Eu sou a favor de duas maneiras para resolver o problema da distribuição dos móveis. Um é meio à moda antiga e usa papel quadriculado. Veja o posto sobre ele > aqui. O outro utiliza uma ferramenta online que pode ajudar a visualizar melhor. Eu gosto muito destes aqui, porque são fáceis, rápidos de fazer e gratuitos.
  • Ao estudar as posições, verifique os itens como proporção, circulação e equilíbrio entre as “massas” e a relação entre os espaços que estão cheios (ocupados) e os vazios.

Layout de interiores completos

O planejamento do ambiente é extremamente importante para aproveitar ao máximo o espaço que você tem. O tamanho e a escala correta dos móveis podem melhorar ou prejudicar a aparência e a funcionalidade de um cômodo. Por isso, o planejamento é a chave para uma decoração bem executada!

Quer aprender a elaborar projetos de layout de interiores completos? O @ibdioficial desenvolveu este curso pra você! Dá uma olhada! Clique aqui embaixo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 + quinze =