Teoria da Cor na Decoração

As cores que você escolhe para sua casa, embora sejam uma escolha pessoal, devem também combinar com seus móveis e utensílios. Hoje vamos estudar a teoria da cor na decoração.

O básico

teoria da cor na decoração

Bem, aqui está o básico: existem três cores primárias na roda de cores – vermelho, azul e amarelo. Essas três cores não podem ser criadas com pintura e dessas três cores, todas as outras são derivadas.

Há também três cores secundárias – laranja, verde e violeta – que resultam da mistura de duas cores primárias (por exemplo, amarelo com azul faz verde).

Se mais uma vez misturarmos duas cores que estão lado a lado, alcançamos outra camada de cor.  São as cores terciárias que resultam da mistura de cores primárias e cores secundárias (por exemplo, amarelo com verde faz verde-limão).

Terminologia das cores

Obviamente, há uma variedade muito maior de cores do que apenas o que você vê nesta roda de cores. É onde diferentes matizes, intensidades e luminosidades entram no jogo.

Matiz, que é também chamado de valor cromático, é simplesmente um termo técnico para a expressão cor pura.

Azul médio e azul escuro são a mesma cor (ou matiz ou ainda valor cromático). O que varia é a intensidade (saturação)da cor. Como os pigmentos são muito intensos, raramente são usados puros.

Usam-se mais as variações mais claras ou mais escuras. E, para conseguir as variações, acrescenta-se branco, cinza ou preto ao pigmento inicial – e altera-se o seu valor de luz (ou seja, aumenta-se ou se diminui a luminosidade do pigmento).

Quando se acrescenta branco a uma cor, o resultado é um matiz que tem maior valor de luz (mais luminoso) do que o pigmento puro. Cores às quais é adicionado branco são cores pastel.

Quando se acrescenta preto a uma cor, o resultado é uma sombra (ou sombreado) daquele pigmento, que tem menor valor de luz (menos luminoso) que a cor pura. Cores às quais é adicionado preto são cores acinzentadas.

Por fim, se acrescenta cinza (branco e preto), o resultado é uma versão rebaixada de um pigmento puro.

Como trabalhar

teoria da cor na decoração

Com o Círculo de Cores é possível criar um número infinito de esquemas de cor. Quase todas estas cores enquadram-se em um dos quatro sistemas gerais, assim chamados pelos especialistas:

Monocromático: esquema em que se usa uma única cor. É o sistema de cores mais fácil de entender e pode oferecer um visual “clássico”, sempre moderno. Por exemplo, um degradé de azuis.

Cores Análogas: é o esquema utiliza duas ou mais cores “vizinhas” no Círculo de Cores. Um desses pigmentos é sempre dominante. Usamos este esquema, muitas vezes, para criar uma atmosfera repousante. Por exemplo, combinações de verdes e azuis.

Cores Complementares: esquemas de cor que combinam duas cores opostas no Círculo de Cores. Por exemplo, verde e vermelho. Às vezes, quando duas cores não oferecem toda a variedade necessária, é possível recorrer ao esquema de Complementares Divididas (três cores) ou ao de Duplas Complementares (quatro cores) que proporcionam maiores possibilidades de combinações de cores.

Na composição de um ambiente com cores complementares, o segredo é empregar uma cor principal e diferentes tons dela e, depois complementá-la com a cor oposta para fazer o contraste. Isso faz com que as cores realcem-se entre si.

Os Esquemas de Trios combinam três cores eqüidistantes no Círculo de Cores. Mais uma vez, o princípio básico de utilizar sempre uma cor dominante é importante. Este esquema funciona igualmente bem com cores pastel

Finalmente, preto, branco e cinzas não aparecem no círculo cromático. Porque não são realmente cores, no sentido estrito do termo. Entram na categoria dos neutros frios.

Nesta categoria de neutros, podem ser incluídas outras cores como os marrons, beges e cremes. Além de sua importância na mistura com outras cores, criando tons mais escuros e cores luminosas, os neutros são muito úteis na criação de contrastes com qualquer cor do esquema.

Como criar a atmosfera adequada

Uma das mais fascinantes características das cores das tintas é seu poder de influenciar os sentimentos das pessoas. Cores diferentes podem provocar sentimentos de vitalidade, cordialidade, calor ou calma. Junto com a luz, pelos móveis e pela mescla de tecidos e texturas, as cores podem ser uma ferramenta altamente poderosa e de fácil utilização.

Felizmente, a cor afeta a maioria das pessoas, o que significa que você pode utilizar certas cores com a certeza de que elas vão proporcionar uma dada atmosfera ou sentimento.

Vermelhos, laranjas e amarelos são cores quentes pois invocam imagens que remetem o calor. As cores quentes são úteis para criar atmosferas aconchegantes. Azuis e verdes, em compensação, criam um ambiente repousante. 

cores na decoração

Planejamento da decoração

  • Considere o estilo e a decoração do espaço e decida qual a atmosfera se quer criar. E, atente para não destoar das outras peças da casa.
  • Decida o tipo de clima que quer dar ao espaço.
  • Analise o tipo de luz natural que há no ambiente. Analise o ambiente sob luz natural e sob luz artificial. A cor muda conforme a incidência de luz ta?!
  • As cores devem combinar com os elementos que não podem ser facilmente substituídos – por exemplo, a decoração da lareira, os estofados, o carpete e as cortinas. Veja mais sobre isso aqui. No caso de pintura externa, observe o estilo da construção – paredes e revestimentos – e as construções vizinhas.
  • Uma boa idéia é criar uma pasta com retalhos e amostras de tecidos, de cores de tinta, de carpetes etc. e tê-la sempre à mão, para estimular sua criatividade. Você poderá antecipar o resultado e, com certeza, encontrará a melhor combinação possível.

Composé

É a composição das cores em superfícies lisas, estampadas, sendo que a cor lisa é a de fundo e se encontra presente na estampa.

O composé é harmonioso, e confere um tom alegre ao ambiente porque ele movimenta uma composição das cores. Exemplo: papel de parede listrado, sofá estampado e cortina lisa (com ou sem xale listado ou estampado), todos com uma cor em comum. Ou ainda, a combinação de duas ou três cores, com padronagens diferentes (listas e poás, estampados graúdos e miúdos com motivos geométricos, etc.)


Como misturar e combinar estampas

Dicas para escolher a paleta de cores certa

À medida que nos aprofundamos nas paletas de cores, essas definições começarão a fazer mais sentido para você. Aqui neste post você se concentra em escolher o esquema perfeito de cores para sua casa. Dá uma olhada!

Se eu tivesse que escolher uma coisa que faz uma casa parecer incrível e harmoniosa, definitivamente seria a cor. Ter uma paleta de cores para a casa inteira não apenas tornará as decisões de decoração mais fáceis, mas usar as cores de sua paleta de cores criará um bom fluxo de um cômodo para outro.

Você adora cores ou gosta de manter as coisas calmas e mais neutras? Então essas dicas para escolher as cores da sua casa serão o ponto de partida para seguir na direção certa com confiança.

Para começar, baixe meu guia gratuito “Como escolher a cor certa ” e, em seguida, encontre a paleta de cores certa pra você!.

Considerações finais

Chegamos a mais um final de post, e vimos que as cores são, de fato, um elemento importante na ambientação dos espaços. Afinal, com elas conseguimos harmonizar ambientes criando um estado psicológico agradável quando bem empregado.

Vimos também que o circulo cromático, auxilia os decoradores em qualquer trabalho acertando na mistura e na obtenção da cor e tom certos.

Quer aprender mais sobre cores? Então você precisa do Guia completo de Cores do @ibdioficial. Clica aqui embaixo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 + sete =