Insatisfeito com a disposição dos móveis em sua casa?

Você muda prá lá, muda prá cá e nunca fica satisfeita(o) com a distribuição dos móveis na sua casa? Esta é uma situação comum, ainda mais quando o ambiente é pequeno, irregular e tem muitas portas e janelas. E o pior: Não há uma só solução porque um ambiente pode ter infinitos formatos! Então, o que pode lhe ajudar são estas regrinhas básicas:

Tomada e pontos de luz

Localize as tomadas e os demais pontos de luz porque eles indicam o lugar de vários itens. Por exemplo: mesas laterais para sofás, mesa de cabeceira, bancadas de eletrodomésticos etc.

Função do cômodo

Atente para a função de cada cômodo. Nesse sentido, defina se haverá ambientes integrados e planeje a disposição do mobiliário. O importante é que as áreas de circulação ou passagem fiquem livres.

Medidas dos móveis

Se ficar difícil visualizar o ambiente pronto, tire as medidas dos móveis e simule o lugar de cada um deles com fita crepe no piso. Assim, você pode observar melhor o espaço necessário para a circulação e a exata distância entre os móveis. 

Outra possibilidade é pegar a planta baixa do ambiente e, com as medidas dos móveis, criar módulos e montar o quebra-cabeça, observando sempre a circulação. Não se esqueça de medir tudo. Aqui falo sobre um KIT de Planejamento de espaços que usam estes módulos.

Perfil dos moradores

Não se esqueça de considerar o perfil dos moradores – se é uma família grande, uma família com crianças pequenas e que precisam de espaço para brincar, qual tipo e quais usos do ambiente etc. Isto é importante para a seleção dos móveis, principalmente quanto às dimensões.

Centro de interesse

Escolha um foco, um centro de interesse – um móvel, um sofá, uma TV, um detalhe arquitetônico ou natural (janela, lareira, jardim etc.). Com base nele, setorize a ambientação. Isso ajuda a orientar a disposição dos móveis.

Formas básicas de disposição

Visual simétrico:
É quando os móveis se distribuem de maneira idêntica em ambos os lados de um eixo central. Ambientações assim transmitem a sensação de estabilidade, uma aparência calma.

formas de dispor os móveis no ambiente

Equilíbrio radial:
É quando os elementos principais se organizam (geralmente em círculo) a partir de um elemento considerado como centro do círculo, uma lareira por exemplo. 
 
Composição assimétrica:
Aqui não existem eixos evidentes – são elementos sutis que determinam o lugar dos móveis. A harmonia surge do jogo de cores e texturas em paredes opostas ou mesmo da brincadeira entre volumes.

Estudos de Caso

Para complementar as informações segue uma seleção de exemplos de distribuição de mobiliário e circulação em salas. Observe:

Modelo 1.

Primeira opção: Imagine uma linha dividindo a sala ao meio. Foi assim que começou o projeto, tendo a lareira como ponto de partida. Nos dois lados deste eixo, a distribuição é idêntica. Esta é a opção que garante a melhor circulação, respeitando o espaço mínimo necessário de 60 cm atrás dos sofás e 50 cm entre estofado e mesa de centro.

Segunda opção: Outra proposta possível é deixar os sofás em L. Assim, o bar fica mais acessível, já que os sofás estão voltados para ele. veja que o interessante desta opção é que de qualquer lugar é possível também ver o jardim. Esta disposição ainda facilita os bate-papos, deixando as pessoas mais próximas umas das outras.

Modelo 2.

distribuição dos móveis

Primeira opção: A mesinha do bar pode ser usada como canto para refeições rápidas e mesa de jogos. No estar, os estofados ficam frente a frente, com uma poltrona na lateral e um banco nas costas de um dos sofás. Se for preciso, as cadeiras do bar podem migrar para a sala e acomodar mais gente.

Outra opção: A segunda opção usa o clássico bar com balcão e banquetas altas. Para integrar os ambientes, os estofados da sala de estar ficam dispostos em L. Duas banquetas baixas, do tipo pufe, ou uma chaise, fazem a ligação dos espaços sem criar um anteparo visual. Veja, que nesta proposta, a janela fica desempedida.

Modelo 3.

Primeira Opção: Sem encosto e braços, o recamiê é um verdadeiro curinga. Aqui, divide a sala em dois núcleos sem isolá-los. Assim, quem senta neste móvel, pode ficar só em um dos ambientes ou usufruir dos dois. As mesas de centro, de formatos, materiais e alturas variados, definem cada núcleo.

Outra opção: Com esta disposição, criam-se dois ambientes com proporções bem desiguais. Assim, um fica mais isolado, sem mesa de centro, formando um canto de leitura. Já o outro, maior, é o lugar destinado às reuniões de família. Veja que nesta opção, o recamiê faz a ligação com a sala de jantar, que continua integrada à estar.

Outras disposições

distribuição dos móveis em salas

decore fácil

Como testar as disposições dos móveis

Além do kit que falei acima, uma outra maneira fácil e, gratuita, de você simular a posição exata dos móveis no seu ambiente, e sentir como uma composição de quadros ou tapetes ficam na sua casa antes mesmo de você adquiri-lo, é através de programas de desenho por computador. Neles você consegue inclusive ver o ambiente em 3D.  

Veja Mais: Como criar ambientes 3D de graça

Gosto de usar o Roomstyler porque é gratuito e fácil de usar, uma vez que você já experimentou algumas vezes. Já criei uma maquete de uma sala minha em apenas 10 minutos e me diverti trocando os acessórios, tapetes e definindo o layout dos meus móveis.

Comece gratuitamente clicando aqui abaixo:

aulas de roomstyler em português

distribuição dos móveis

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quinze − 2 =