O que é e como apresentar um Estudo Preliminar ao Cliente

Ninguém contrata um decorador ou designer de interiores que não saiba expor suas ideias de decoração de espaços ao cliente. Seria como contratar um chef que não sabe cozinhar ou um cantor que não sabe cantar. Felizmente, estes profissionais são especialistas em expressar suas ideias de forma a conseguir que o cliente visualize-as e imaginem como de fato o ambiente vai ficar depois de pronto. Porém, nem todo decorador ou designer de interiores aborda o processo de criação da mesma maneira. Por isso, hoje resolvi descrever uma estratégia que considero muito útil de como apresentar um estudo preliminar ao cliente. E quero saber sua opinião também. Descreva aqui na seção de comentários se você já usou esta estratégia e como ela te ajuda no processo de criação e apresentação das  suas ideias ao cliente.

O que é um Estudo Preliminar?

Após levantar os dados para o projeto entendendo os desejos e necessidades do cliente, você vai iniciar o processo de criação do espaço contratado. E é aí que entra a fase do estudo preliminar. O estudo preliminar é, portanto, o “conceito” inicial que irá embasar todo o desenvolvimento do projeto de interiores. 

Nesse estudo o designer de interiores define com o cliente qual estilo o ambiente terá, o tipo do mobiliário, a paleta de cores que será utilizada. Enfim toda a ambientação do local que dará continuidade ao ante projeto onde é definido os projetos complementares. Como por exemplo o projeto de iluminação, projeto de revestimentos, etc.

Geralmente o estudo preliminar contém o layout dos móveis e decoração dispostos em escala, seguido do mood board. No layout você mostra ao cliente uma planta baixa com a localização exata e as dimensões de cada peça que será inserida no ambiente. E com o mood board, você mostra como organizou suas ideias afim do cliente visualizar e compreender as propostas idealizadas por você. Uma das partes mais difíceis do design de interiores, especialmente para o seu cliente, é imaginar como será o espaço no final. O mood board é uma ótima solução para esse problema. 

Como apresentar um estudo preliminar

Mood boards são um arranjo de imagens, materiais, texturas, e cores que evocam o estilo de um projeto ou conceito. Digamos que o mood board é o trampolim para desenvolver o processo criativo. É uma exposição organizada de seus pensamentos e ideias portanto uma ferramenta útil que você pode usar para comunicar efetivamente suas ideias ao cliente. Nesse >post< eu falo mais a respeito.

Como Apresentar um Estudo Preliminar ao cliente?

Etapa 1. Introdução

Comece com algo que inspire o gosto do cliente. Em seguida, colete as imagens de móveis, objetos e materiais que ajudarão você a transmitir o que deseja para decorar o espaço. Monte o mood board, brinque com os elementos e vá filtrando as ideias, imagens, cores… Coletar imagens é um momento muito agradável, é mágico, você sente a inspiração. Nesta etapa portanto, você fará uma seleção dos elementos capturados para manter o que mais gosta, o que mais o inspira. Você verá os elementos que melhor expressam o projeto.

Etapa 2. Organize o layout do ambiente

Desenhando a planta de layout, você consegue dimensionar de forma precisa a disposição dos móveis e a circulação do espaço. A planta baixa pode ser construída de várias maneiras, e seu método deve ser determinado por suas próprias preferências e habilidades. Você pode desenhar à mão utilizando papel quadriculado, ou então em programas de desenho por computador como o AutoCAD, Promob ou SkechUp. 

Etapa 3: Realce tecidos, cores e materiais

Colete imagens de amostras de tecido, examine a paleta de cores e monte um “composé” para ver quais peças combinam entre si. Os designers de interiores frequentemente recebem perguntas como: Que cor devo usar? Será que essa cor na sala ficará boa? Portanto os mood boards são a solução perfeita para mostrar todo o esquema ao cliente. Você também deve incluir no mood board revestimentos de piso, tapete, quadros, ou seja, tudo que queira destacar no projeto afim de que o cliente consiga visualizar da melhor forma possível como o espaço poderá ficar depois de pronto.

painel conceitual decoração

Dica profissional: Alguns designers de interiores gostam de criar uma hierarquia em seus painéis de mood boards. Por exemplo, se você realmente deseja que um pedaço de revestimento de piso que você gosta seja o aspecto de destaque do ambiente, então coloque-o no mood board com mais destaque do que o restante dos elementos. Outros designers gostam de criar mood boards separados para plantas, tecidos, produtos etc. Tudo depende do seu processo de criação e da forma como melhor o seu cliente possa visualizar como o espaço ficará.

Etapa 4. Construa uma ambientação

O último passo é adicionar personalidade ao seu mood board construindo uma ambientação com peças de mobiliário e itens de destaque. Nesta fase, alguns profissionais fazem ainda um levantamento simples dos materiais utilizados juntamente com uma listagem prévia de orçamento. Você apresenta ao cliente e se ele aprovar, você já parte para a outra fase do projeto de interiores: o ante-projeto. 

painel semântico
Momento de combiná-los no espaço

Separei para você um exemplo de projeto de estudo preliminar que foi realizado usando esta estratégia. Para vê-lo, clique no botão abaixo. 

Sentindo-se inspirado para criar mood boards? Então conheça este curso tutorial que ensina você a montar mood boards utilizando a ferramenta powerpoint. Clique no botão abaixo e confira!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − cinco =